Contextualização das passagens interpretadas nos vídeos

Gustavo Gasparani faz Iago  (Otelo, Ato 2, cena 3). Trad. Barbara Heliodora. 
Famoso paradoxo “Divinity of hell” (Bendito inferno”), em que Iago expressa a teologia do demônio: para cometer negros pecados, os demônios começam agindo de modo celestial, uma alusão ao que escreve São Paulo sobre Satanás se disfarçar em um anjo de luz (Cor. 2 11:14). A imagem do envenenamento, aqui metafórico, pelo ouvido, lembra o que conta o fantasma do pai de Hamlet, envenado por seu irmão Claúdio enquanto dormia no jardim. Gravado em 2013

Monólogo de Dirceu, da peça Otelo da Mangueira, de Gustavo Gasparani

O trecho  interpretado equivale ao solilóquio “Divinity of hell” (Bendito inferno”), em que o Iago shakespeariano expressa a teologia do demônio. Otelo da Mangueira, de Gustavo Gasparani, é uma recriação de Otelo, de Shakespeare.  utiliza a ideia das várias faces ou disfarces do diabo: Iago/ Dirceu é o amigo conselheiro que sopra no ouvido de Otelo ideias pestilentas sobre o comportamento infiel de sua esposa . Guardando algumas frases e imagens da peça de Shakespeare, Gasparani adiciona outras frases e expressões oriundas de nossa fala cotidiana (“não tem moleza”) e ainda incorpora a musicalidade do universo do samba. Gravado na Academia Brasileira de Letras, 2013.
Veja video da peça em Global Shakespeares at MIT: globalshakespeares.mit.edu/
Em breve: entrevista com Gasparani sobre a peça.

https://www.youtube.com/user/shakespearedigital

Esta entrada foi publicada em Artigos. Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *